Dicionário de definições do ramo têxtil

Indice

A | À | B | C | D | É | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Z |
 

Fibra química

termo que designa em geral fibras têxteis fabricadas a partir de polímeros naturais e sintéticos por meio de tecnologias químicas. A extrusão (fiação) é feita por meio de uma solução do polímero ou com o polímero fundido, fazendo passar o jacto líquido através da fieira, num ambiente que provoca a solidificação ou coagulação das fibras, após o que são submetidas a tratamentos posteriores. Uma fibra química pode tomar a forma de uma fibra cortada, semelhante ao algodão ou à lã, ou de um filamento contínuo, semelhante à seda. A produção industrial de fibras químicas a partir de celulose regenerada começou no final do século XIX. Uma meta posterior no desenvolvimento das fibras químicas (neste caso das sintéticas apropriadas para utilização no vestuário) apareceu nos anos 1930. A descoberta das fibras de poliamida levou a uma mudança radical e a um rápido desenvolvimento na produção - processo repetido com o poliacrilonitrilo e nos anos 1940 com as fibras de poliéster. As fibras químicas não devem ser consideradas como sendo de segunda escolha em relação às fibras têxteis naturais; em muitos aspectos são mesmo superiores (nomeadamente em termos da resistência mecânica e química), pois podem ser incorporadas diversas propriedades no decurso do seu fabrico.



General partners

Veba Vývoj
Evropská unie Education and Culture This project has been funded with support from the European Commission. This publication [communication] reflects the views only of the author, and the Commission cannot be held responsible for any use which may be made of the information contained therein.
This project has been funded with support from the European Commission.
Mapa do site  |  Sobre o site  |  Print page  |  © 2006 – 2008 Textilní zkušební ústav, s.p., powered by MediaWiki
created by Omega Design